POSTS RECENTES

inove

Recomentações de Reeducaç...

MUDANÇA DE HÁBITOS ALIMEN...

Novo look!!!!!!!!

...

...

...

...

...

...

POST ANTIGOS

Setembro 2011

Maio 2008

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Sábado, 26 de Maio de 2007

Oque é a toxoplasmose?!

O que é a toxoplasmose? A toxoplasmose é uma infecção que pode pôr em perigo a saúde do seu bebé.


É causada por um parasita, o Toxoplasma gondii. Este parasita multiplica-se no intestino dos gatos, pelo que pode encontrar-se em fezes de gatos, e é preciso ter especial cuidado com a manipulação das “caixas” de dejectos destes animais. A mulher grávida pode ser contaminada durante este processo ou em contacto com a terra por onde circulem gatos, e existam fezes, que contém oocistos libertados pelo parasita. Os oocistos resultam do ciclo sexuado do parasita que ocorre apenas nos intestinos dos felinos (não acontece com os cães, por exemplo).
A mulher grávida deve estar atenta porque também pode ser contaminada pela ingestão de alimentos mal cozinhados como a carne mal passada de animais que contenham este parasita. Além disso, as pessoas que trabalham em jardinagem ou mexem habitualmente em carne crua correm também riscos de contrair toxoplasmose.

O que acontece se eu apanhar toxoplasmose?

Os adultos habitualmente saudáveis não apresentam sintomatologia quando são infectados.
Os sintomas são raros, podendo assemelhar-se a gripe vulgar. No entanto se for infectada durante a gravidez, pode passar a infecção ao seu bebé. O bebé pode não desenvolver nenhuma doença, ou ficar seriamente doente afectando sobretudo o cérebro e os olhos.
Se foi infectada antes da gravidez, 6 a 9 meses antes, com o Toxoplasma gondii, vai tornar-se imune. A infecção não se tornará a reactivar durante a gravidez e por isso raramente existe risco para o bebé.

Como sei se tenho toxoplasmose?

Podemos realizar uma análise ao seu sangue para ver se teve contacto recente ou passado com o parasita, através da determinação dos anticorpos anti IgG e a IgM para o Toxoplasma gondii.
Esta análise deve ser efectuada o mais cedo possível para evitar erros de interpretação, porque o período mais perigoso para apanhar toxoplasmose é durante o 1º trimestre de gravidez. De preferência deve ser efectuada antes da gravidez ou o mais cedo possível.
Se não fizer a análise e não souber se está imunizada ou não, deve tomar todas as precauções para evitar a infecção, protegendo o seu bebé.

Como posso evitar a toxoplasmose?

Não deixar o seu gato sair para evitar a sua contaminação durante a gravidez e se possível ter alguém que ajude no tratamento dos dejectos do seu gato.
Se tiver mesmo de o fazer, deve usar sempre luvas e evitar a aspiração durante o tratamento da caixa de dejectos, que deve ser mudada diariamente e passada por água a ferver. Os oocistos demorarão 1 dia a tornarem-se infecciosos.

Cuidados a ter:

Lavar sempre bem as mãos depois de tratar dos dejectos do gato.
Usar sempre luvas na jardinagem, e lavar muito bem as mãos depois.
Evitar moscas que podem disseminar a infecção tocando nos alimentos após contacto com terra contaminada.
Cozinhar muito bem a carne pelo menos 15 a 20 m antes de a consumir. Evitar comer carne mal passada, ovos crus, vegetais mal lavados e frutas não descascadas.
Não beber leite não pasteurizado.
Ter sempre o cuidado de lavar as mãos antes de comer e após manuseamento de material suspeito.

E se eu apanhei toxoplasmose?

No caso da análise sugerir a infecção recente, (nunca podemos garantir a datação da infecção mas se após 3 semanas o nível do anticorpo anti-toxoplasma IgG duplicar isto é muito provável), temos de despistar a infecção no bebé.
Para isso, actualmente fazemos a pesquisa do Toxoplasma gondii no líquido amniótico, pelo que terá de fazer uma amniocentese, nunca antes de 4 semanas após a suspeita do contacto da mãe e nunca antes das 18 semanas de gravidez.
Existem sinais ecográficos que nos indicam também a suspeita de infecção no feto.
O bebé deve ser seguido até ao primeiro ano de vida pois em cerca de 1/3 das situações não conseguimos fazer o diagnóstico antes de nascer.
Existe tratamento para a mãe e para o bebé, que evita formas mais graves ou mesmo o aparecimento da doença dependendo da precocidade do diagnóstico.



Marcia Melo às 17:05

link do post | comentar | favorito

PESQUISAR

 

Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


tags

todas as tags

LINKS LEGAIS

visitinhas

free web counter
free web counter
blogs SAPO

subscrever feeds